Notícias

Publicada: 16/10/2017

Você sabe o que difere um seguro saúde de um plano de saúde

Você tem plano de saúde? E seguro saúde? Não sabe o que diferencia um do outro? Basicamente, a ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar, que regulamenta o setor de saúde privada, considera ambos como serviços de assistência em saúde particular. Mas então, quais são as principais diferenças entre as duas modalidades? Liberdade. Essa é a palavra mágica que define a diferença entre o seguro e o plano de saúde. Lembrando que o seguro saúde só pode ser contratado via pessoa jurídica. 

Neste artigo vamos listar todos estes pontos, exemplificando, na prática, como cada um pode afetar a sua utilização no cotidiano.

1 - Abrangência

Os planos de saúde, de modo geral, são locais. As concessões de licença para atuação permitem às empresas atuar em determinado raio geográfico e, em alguns casos, com suporte de atendimento fora de sua região. Os seguros não tem esta limitação, podendo ser acionados em qualquer parte do país, desde que esteja contratada na apólice. Na prática, quando você precisa de algum procedimento pelo plano de saúde ele irá, obrigatoriamente, te levar para a rede credenciada mais próxima. Caso você esteja fora do seu município, muito provavelmente o plano de saúde irá solicitar o deslocamento para prestar os serviços na sede do contrato.

O seguro saúde, por sua vez, permite que o usuário escolha onde quer fazer o seu procedimento, a sua consulta, seu exame. E, em casos de eventualidades numa viagem, por exemplo, não irá requerer a sua locomoção para iniciar a assistência.

2 - Variedade

Planos de saúde possuem redes próprias de atendimento, seja com clínicas e hospitais da marca, ou através de parceiros credenciados. Isso limita - e muito - as possibilidades de atendimento. Os seguros saúde, ao contrário, possuem uma ampla rede credenciada mas não possuem clínicas e hospitais próprios. Somada a não-limitação geográfica, o usuário pode optar por receber atendimento em qualquer lugar que ofereça a especialidade que estiver buscando.

Um exemplo dessa diferença são os exames de alta complexidade. Em muitos casos, o plano de saúde até cobre a realização desses exames, mas não oferece rede credenciada na cidade do seu beneficiário. O que acontece nessas situações? Se não houver vaga pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o paciente terá que pagar de forma particular. Ou seja: além da mensalidade do plano, que na teoria cobre o procedimento, terá que desembolsar uma boa quantia para realizá-lo numa clínica particular.

Com o seguro saúde, se um determinado serviço não existe na sua cidade, você pode buscar nas regiões mais próximas o local que ofereça. Poderá utilizar o serviço e terá a cobertura do seguro normalmente, sem nenhum problema e sem nenhum acréscimo por deslocamento.

3 - Escolha de profissionais

Muitas vezes, a família já tem seus profissionais de saúde que estão acostumados a lidar com a prevenção e o tratamento de todos da casa. Mas e se estes médicos, dentistas ou enfermeiros não estiverem cadastrados no plano de saúde desta família, terão que pagar à parte para continuar recebendo a sua assistência. Isso acontece porque os planos de saúde possuem uma listagem de todos os profissionais credenciados, assim como a rede de clínicas, hospitais e exames. O direito de escolha do beneficiário é limitado, pois resume-se ao que estiver no manual do cliente, entregue no ato da contratação do plano.

Com o seguro saúde, você pode escolher com quem irá se consultar, por exemplo. Pode escolher quem irá até a sua casa prestar o acompanhamento de enfermagem ou as sessões de fisioterapia que precisa. O seguro irá cobrir, reembolsando os gastos conforme estipulado na sua apólice. Logo, como dissemos anteriormente, você terá total liberdade para escolher onde e com quem irá ter seu atendimento de saúde.

4 - Pagamento x reembolso

Outra grande diferença, talvez a mais importante, é que os planos de saúde normalmente são parciais e, para alguns tipos de especialidades, você deverá pagar uma taxa além da mensalidade toda vez que precisar delas. No seguro saúde, a regra é o reembolso. Caso você receba o atendimento de profissionais e empresas conveniadas, este reembolso é total. Caso você opte por outros profissionais e lugares que não sejam conveniados, o reembolso irá seguir a tabela de valores que está na apólice do seu seguro. Desta forma, você saberá exatamente quanto irá dispor do seu orçamento mensal e poderá planejar melhor as prioridades de despesas.

Quem fiscaliza?

Tanto a atuação dos planos, quanto dos seguros saúde é regulamentada e regulada pela ANS. Além de fiscalizar, a entidade tem o poder de autorizar e vetar aumentos, mudanças de características, como carências e coberturas padrões, além de oferecer o suporte aos usuários para casos especiais.

Conclusão

Vale muito à pena conversar com um corretor de seguros para conhecer todas as vantagens do seguro saúde. Faça as contas, analise os diferenciais entre os planos e os seguros e escolha a melhor opção para a sua família. Você pode economizar bastante, além de garantir a sua liberdade de escolha e de localização.